Mamãe Margarida

Nos caminhos de Dom Bosco, muita gente trilhou. Alguns deles foram canonizados (santos), outros beatificados; outros, ainda, declarados “veneráveis” (etapa anterior à beatificação) ou “servos de Deus” (aqueles que tiveram sua causa introduzida oficilamente, no longo caminho que vai até a santidade).

A esses que souberam acolher Dom Bosco em suas vidas, bem como a milhares de outros no mundo inteiro, dedicamos estas páginas “Nos caminhos de Dom Bosco”.

Aqui colocamos apenas alguns dos Santos, Beatos, Veneráveis e Servos de Deus. Estes e muitos outros poderão ser vistos no site oficial dos Salesianos: www.sdb.org/ na parte “santidade salesiana” (esse site tem opção de idioma).

Com informações e imagens do referido site, colocamos a seguir, breve biografia da Serva de Deus, Margarida Occhiena, a mãe de Dom Bosco


Dom Bosco e Mamãe Margarida

Mamãe Margarida


MARGARIDA OCCHIENA (1788-1856)

Nasce no dia 1°. de abril de 1788, em Capriglio (AT) e no mesmo dia é batizada na igreja paroquial. Reside aí até o casamento com Francisco Bosco; depois muda-se para a localidade de Becchi. Com a morte prematura do marido, Margarida, com 29 anos, deve enfrentar sozinha a condução da família em um momento de grande carestia, e cuidar da mãe de Francisco e do seu filho Antônio; e educar seus filhos José e João.

Mulher forte, com clareza de idéias, determinada nas escolhas, regime de vida sóbrio, severa na educação cristã, doce e compreensiva. Acompanha o crescimento de três jovens de temperamento muito diverso: não nivela e não mortifica nenhum, porém.

Obrigada a fazer escolhas às vezes dramáticas (como o afastamento do filho menor de casa para não romper com a paz e para fazê-lo estudar), conduz com fé, sabedoria e coragem o desenvolvimento das habilidades dos filhos, ajudando-os a crescer na generosidade e no espírito de iniciativa. Acompanha com amor particular João até o sacerdócio e depois, deixando a querida casa no Colle, segue-o na sua missão entre os jovens pobres e abandonados de Turim. Aqui, por dez anos, a sua vida se confunde com a do filho e com os inícios da Obra salesiana: é a primeira e principal Cooperadora de Dom Bosco; com bondade dinâmica torna-se o elemento materno do sistema preventivo; é, sem sabê-lo, “cofundadora” da Família salesiana que cria santos como Domingos Sávio e P. Rua.

Analfabeta, mas cheia daquela sabedoria que vem do alto, foi ajuda para tantos jovens pobres abandonados na rua, filhos de ninguém; coloca Deus acima de tudo, consumando-se por Ele numa vida de pobreza, de oração e de sacrifício.

Morre aos 68 anos, em Turim, no dia 25 de novembro. Acompanham-na ao cemitério tantos jovens que a choram como “mamãe”.

http://domboscoeducador.blogspot.com/