Domingos Sávio

Nos caminhos de Dom Bosco, muita gente trilhou. Alguns deles foram canonizados (santos), outros beatificados; outros, ainda, declarados “veneráveis” (etapa anterior à beatificação) ou “servos de Deus” (aqueles que tiveram sua causa introduzida oficilamente, no longo caminho que vai até a santidade).

A esses que souberam acolher Dom Bosco em suas vidas, bem como a milhares de outros no mundo inteiro, dedicamos estas páginas “Nos caminhos de Dom Bosco”.

Aqui colocamos apenas alguns dos Santos, Beatos, Veneráveis e Servos de Deus. Estes e muitos outros poderão ser vistos no site oficial dos Salesianos: www.sdb.org/ na parte “santidade salesiana” (esse site tem opção de idioma).

Com informações e imagens do referido site, colocamos a seguir, breve biografia de São Domingos Sávio, aluno de Dom Bosco.


São Domingos Sávio junto com a Bem-Aventurada Laura Vicuña (ilustração)




S. DOMINGOS SAVIO – (1842-1857)

Domingos nasceu no dia 02 de abril de 1842, em São João de Riva, perto de Chieri (Turim).

Tinha sete anos quando, na Primeira Comunhão, traçou seu projeto de vida: “Confessar-me-ei com muita freqüência e farei a comunhão todas as vezes que o confessor me der licença para isso. Quero santificar os dias festivos. Meus amigos serão Jesus e Maria. A morte, mas não pecados”.

Aos doze anos, ao ser recebido por Dom Bosco no Oratório de Turim, pediu a ele que o ajudasse a “se tornar santo”. Manso, sereno e alegre, colocava todo o empenho no cumprimento de seus deveres de estudante e em ajudar de todas as maneiras os colegas, ensinando a eles o Catecismo, assistindo os doentes, separando as brigas… Um dia, a um companheiro que acabava de chegar ao Oratório, ele disse: “Saiba que aqui nós fazemos a santidade consistir em estar muito alegres. Procuramos apenas evitar o pecado, como um grande inimigo que nos rouba a graça de Deus e a paz do coração, e cumprir exatamente os nossos deveres”.

Fidelíssimo ao seu programa de trabalho, sustentado por uma intensa participação aos sacramentos e por uma filial devoção a Maria, alegre no sacrifício, foi enriquecido por Deus com dons e carismas.

No dia 08 de dezembro de 1854, proclamado o dogma da Imaculada por Pio IX, Domingos se consagrou a Maria e começou a progredir rapidamente na santidade. Em 1856 fundou com seus amigos a Companhia da Imaculada para uma ação apostólica de grupo.

Mamãe Margarida, que havia se mudado para Turim, a fim de ajudar o filho sacerdote, disse-lhe um dia: “Você tem muitos jovens bons, mas nenhum deles supera o coração e a linda alma de Domingos Sávio”. E explicou: “Eu o vejo sempre em oração; fica na igreja, mesmo depois que os outros saem; todos os dias deixa por um momento o recreio para fazer uma visita ao SS.mo Sacramento… Na igreja ele se comporta como um anjo que mora no Paraíso”.

Morreu em Mondonio, no dia 09 de março de 1857. Seus restos mortais são venerados na basílica de Maria Auxiliadora. Sua festa é celebrada no dia 06 de maio. Pio XI o definiu: “Pequeno, ou melhor, grande gigante do Espírito”. É patrono dos Pequenos cantores.

PARA SABER MAIS SOBRE SÃO DOMINGOS SÁVIO – LIVROS:
BOSCO, Terésio. “Domingos Sávio”, São Paulo: Editora Salesiana.
TONETO, Bernadette. “Domingos Sávio” (Série Heróis e Campeões), São Paulo: Editora Salesiana.